Rita Lee: “Eu sou o Rio”

Milhares de fãs invadem as areias de Copacabana para receber a paulistana mais carioca do Brasil

Dia de luz, festa de sol e Rita Lee cantando e dançando no megapalco montado nas areias da Praia de Copacabana, entre o mar, as luzes do Copacabana Palace e milhares de pessoas que foram assistir a cantora em mais uma passagem pelo Rio de Janeiro, no último sábado, dia 20. Uma comemoração perfeita para o Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, onde até a chuva, incessante desde o final de 2006, deu uma trégua para que a festa pudesse ser completa.

Rita – definida por Caetano Veloso como a “mais perfeita tradução de São Paulo” – pôs abaixo qualquer rivalidade entre as duas metrópoles e, mais uma vez, demonstrou sua paixão pelo Rio de Janeiro, interpretando Valsa de uma cidade, de Ismael Netto e Antônio Maria (“Rio de Janeiro / Gosto de você / Gosto de quem gosta / Deste céu, deste mar, desta gente feliz…”). Um momento emocionante dentro do show, que será eternizado dentro da série de três DVDs que fazem parte da comemoração de seus 40 anos de carreira e 60 anos de vida de Rita Lee, dirigidos por Roberto de Oliveira, com previsão de lançamento em abril.

Acompanhada da banda formada pelo marido Roberto de Carvalho (guitarras e vocais) e pelo filho Beto Lee, Rita apresentou os outros integrantes como parte de sua “família musical”: o “sobrinho” Brenno (baixo), o “afilhado” Edu (bateria), o “tio” Dirceu (sax), o “cunhado” Daniel (teclados) e as “primas” Deborah e Maria (vocais), além da mais nova integrante do clã Lee-Carvalho: a neta Izabella, de um ano, filha de Beto e Talita, vocalista da Banda Motores.


Rita, Izabella e Roberto

No repertório, canções que atravessam o tempo e unem gerações, apresentadas nesta seqüência: Orra meu (1980), Luz del Fuego (1975), a mutante Ando meio desligado (1970), Agora só falta você (1975, apresentada com os mesmos arranjos da versão do Acústico MTV, de 1998), A hard day’s night, no “momento Beatles”, Balada do louco (1968, com uma pequena mudança na letra: “Se elas são bonitas, sou Gisele Bündchen; se eles são terroristas, sou Osama Bin Laden”), On The Rocks (1983), Doce vampiro (1979), Alô, alô marciano (1979, em referência à amiga Elis Regina: “Eu vou cantar uma que a gente fez há 430 anos, e que a maior cantora do Brasil gravou”), Papai me empresta o carro (1979), Minha fama de mau (canção da dupla Roberto & Erasmo Carlos gravada em dueto por Rita e Erasmo em 1980, no LP “Erasmo Carlos convida…”), Mania de você (1979, com a primeira estrofe modificada especialmente para agitar a plateia: “Rio você me dá… água na boca!”) e Flagra (1982, que depois de muito tempo volta a ser apresentada ao vivo).

Após um breve intervalo, Rita troca a camisa com a face do ídolo James Dean por uma outra, branca, com uma frase estampada que sacramentou de vez sua paixão pela cidade: “Eu sou o Rio”, para então homenagear o Padroeiro em Valsa de uma cidade. No bis, com a tradicional e apoteótica chuva metalizada, Rita interpreta os clássicos Lança perfume (1980), Erva venenosa (2000) e, fechando o show, o rock Todas as mulheres do mundo, de 1993.

Cidadã carioca, eleita pelos fãs

Auto-denominada como uma “paulista branquela sem samba no pé, mas apaixonada pela cidade”, Rita Lee foi saudada pelo seu fã-clube, em faixas com as frases “Santa Rita do Rio” e “Rita Lee cidadã carioca” (foto, abaixo), e perguntou como faria para receber o título (alô, políticos!); noveleira assumida, afirmou que adora o Rio “porque tem muito artista”, e que “quer saber quando a Danielle Winits vai pegar o Tarcísio Meira na novela das oito”, em referência aos personagens de Páginas da vida, escrita por Manoel Carlos. Entre os famosos da área vip estavam as atrizes Betty Faria e Cláudia Gimenez, a apresentadora Milena Ciribelli e a cantora Marina Elali, que interpreta o sucesso One last cry, tema da mesma novela.


Fãs seguram as faixas

O show, apresentado dentro do projeto Verão Tim 2007, uma parceria entre a operadora de telefonia móvel Tim e a Prefeitura do Rio, acontece pela terceira vez consecutiva na mesma data, e em edições anteriores promoveu shows de Lulu Santos (em Copacabana, em 2006), e Maria Rita (em 2005, na Praia de Ipanema).

Espaço para um pequeno comentário: A Prefeitura do Rio queria trazer Elton John para esta apresentação na cidade, adiada para uma outra ocasião. Mas, quem tem a música e o carisma de Rita Lee por perto, precisa realmente da presença do inglês?

Mais fotos do show:


Rita Lee saúda o público, tendo o Copacabana Palace como pano de fundo


Roberto de Carvalho e Beto Lee