Perfil: Lulu Santos (Luiz Maurício Pragana dos Santos)

04 de maio de 1953, Rio de Janeiro, RJ

 

 

Pelo menos no Brasil: aqui, há mais de trinta anos, Lulu Santos e a denominação pop andam lado a lado. Cantor de personalidade única, Lulu é um hitmaker: ao longo de sua carreira, compôs dezenas de sucessos, muitos deles ao lado do parceiro e amigo Nelson Motta.

Filho de um Brigadeiro da Aeronáutica, nascido em 4 de maio de 1953 no bairro do Rio Comprido, no Rio de Janeiro, Luiz Maurício Pragana dos Santos ainda pequeno mudou-se para Illinois, nos EUA, para onde seu pai foi transferido.

“Quando eu era pequeno
Eu achava a vida chata
Como não devia ser
Os garotos da escola
Só a fim de jogar bola
E eu queria ir tocar guitarra na TV…”

A autobiográfica Minha vida, gravada por Lulu Santos em 1986, narra um pouco de sua infância e juventude. Aos 8 anos, ganhou sua primeira guitarra. Aos 12, formou uma banda, que tocava covers dos Beatles. Com 18 anos, Lulu retorna ao Rio de Janeiro, e decide sair de casa, para viver em uma comunidade, no bairro de Santa Teresa. Durante os anos 70, conhece Lobão e Ritchie, seus futuros parceiros no conjunto de rock Vímana, que só teve um único compacto gravado, em 1976, pela Som Livre. Em seguida, Luís Maurício tocou com Gal Costa e Fagner, além de trabalhar com Guto Graça Mello, escolhendo músicas para as trilhas sonoras das novelas da Rede Globo.

Em 1981, Lulu participa do festival MPB-Shell, com Areias Escaldantes, que é lançada em compacto, assim como Tesouros da juventude, tema da novela O amor é nosso. No ano seguinte, grava seu primeiro LP – Tempos Modernos, que estoura nas rádios com De Repente Califórnia, e também com a faixa-título. O disco, produzido por Liminha, vende 56 mil cópias. Em 1983, lança O Ritmo do Momento, com as músicas Um Certo Alguém, Adivinha o quê e o mega-hit Como uma onda (zen-surfismo).

Nos anos seguintes, Lulu Santos continua a saga de sucessos, mas sem uma vendagem expressiva de seus discos. No início de 1986, troca a Warner pela RCA e grava Tudo Bem, tema da novela Selva de Pedra. No fim do mesmo ano, lança Lulu, o disco que tem Casa, Condição, Minha vida e Um pro outro. Resultado: Disco de platina – 250 mil cópias. Em 1988, lança dois LP’s: o primeiro, Toda Forma de Amor, trazia na capa os bonecos Barbie e Ken representando um momento, digamos, mais íntimo. A segunda prensagem do álbum teve a capa modificada, conforme ordem judicial. O segundo disco – Amor à arte, foi gravado ao vivo no Olympia, e trazia Lá vem o sol, versão de Here Comes The Sun, dos Beatles, e Lei da Selva. No final de 1989 chega às lojas o incompreendido Popsambalanço e outras levadas, considerado na época pela revista Veja o pior disco do rock nacional.

A partir daí, Lulu Santos inicia uma queda vertiginosa em sua carreira. E, quando tudo parecia irreversível, uma reviravolta: Lulu se une ao DJ Memê e produz o CD Assim caminha a humanidade, onde a faixa-título foi uma das canções mais executadas no país durante 1994. No ano seguinte, lança Eu e Memê, Memê e Eu, com versões de Descobridor dos Sete Mares, de Tim Maia, Se você pensa, de Roberto e Erasmo Carlos, Fullgás, de Marina e Antônio Cícero, e remixes de canções suas. Sucesso retumbante.

Mas, assim como “as ondas vem e vão”, Lulu Santos passa novamente por altos e baixos, intercalando discos rejeitados por público e crítica com outros grandes sucessos. Em 2000, faz seu Acústico MTV, com 27 sucessos reunidos em um CD duplo. Quatro anos depois, repete a bem sucedida parceria com MTV ao vivo, repaginando antigas canções e trazendo a inédita Sem nunca dar adeus.

Em 2005, Lulu lançou o CD Letra e Música, com releituras de Gilberto Gil (Ele falava nisso todo dia), João Penca e os Miquinhos Amestrados (Popstar), além de um novo hit: Vale de lágrimas. Em 2007, troca a Sony Music pela Som Livre, e lança o CD Longplay, reunindo nova safra de inéditas, como Contatos, Domingo maldito e Seu aniversário , entre outras. Em 2009, uma nova rodada de canções vieram em Singular, com destaque para a irresistível Baby de Babylon, tema da novela Viver a vida, de Manoel Carlos.

Dez anos após o primeiro acústico MTV, Lulu Santos volta ao formato em um segundo volume da série, reunindo hits da primeira década do milênio, canções “lado B” e inéditas, com destaque para E tudo mais. A turnê contava com a participação especial de Marina de La Riva em Adivinha o quê. Em 2011, apresentou a turnê Lulu Santos canta Roberto e Erasmo, através do Circuito Cultural Banco do Brasil, que resultou no álbum de estúdio Lulu canta & toca Roberto e Erasmo, lançado em 2013.

Cinco anos depois de seu último disco de novas canções, Lulu traz a público Luiz Maurício, um delicioso álbum pop que trazia os sucessos Sócio do amor e a faixa-titulo, que você confere abaixo. Luiz Maurício também marca a volta de Lulu Santos ao formato LP.

Desde 2012, Lulu Santos integra o time do programa The voice, da Rede Globo, ao lado de Michel Teló, Claudia Leitte, Carlinhos Brown e Daniel.

DISCOGRAFIA

“Tempos modernos” (Warner, 1982)
“O ritmo do momento” (Warner, 1983)
“Tudo azul” (Warner, 1984)
“Normal” (Warner, 1985)
“Lulu” (RCA, 1986)
“Toda forma de amor” (BMG, 1988)
“Amor à arte – ao vivo” (BMG, 1988)
“Popsambalanço e outras levadas” (BMG, 1989)
“Honolulu” (BMG, 1990)
“Mondo cane” (Polygram, 1992)
“Assim caminha a humanidade” (BMG, 1994)
“Eu e Memê, Memê e eu” (BMG, 1995)
“Anti ciclone tropical” (BMG, 1996)
“Liga lá” (BMG, 1997)
“Calendário” (BMG, 1999)
“Acústico MTV” (BMG, 2000)
“Programa” (BMG, 2001)
“Bugalu” (BMG, 2003)
“MTV ao vivo” (BMG, 2004)
“Letra e música” (Sony Music, 2005)
“Longplay” (Som Livre, 2007)
“Singular” (Los Santos / EMI, 2009)
“Acústico MTV II”(Los Santos / Universal, 2010)
“Lulu canta & toca Roberto e Erasmo” Los Santos / Sony Music, 2013)
“Luiz Maurício” (Los Santos / Sony Music, 2014)
“Toca + Lulu – Ao vivo” Los Santos / Sony Music, 2015)

6 Replies to “Perfil: Lulu Santos (Luiz Maurício Pragana dos Santos)”

  1. Lulu, foi e é maravilhoso ter vivido uma adolescencia embalada por suas cançòes de balanço e poesia inigualavél. você é relmante o último dos românticos.

  2. Lulú realmente é o radical chick, minha adolescencia, foi curtindo Lulú, gosto de todas as canções, mas o último romântico é tudo de bom, e infelizmente a música Perguntas do Popsambalanço ele nunca mais cantou em seus shows, é uma crítica tão antiga, mas tão atual.

  3. Lulu,
    Moro em Mongaguá. Conhece?
    Estou ouvindo BEATLES.
    É muito difícil não lembrar você.
    Essa sua guitarra "georgehariana"..
    Pôxa, como é bom! Adoro seu trabalho, sua música, sua voz rouca.Por onde vc tem andado?
    Vem fazer um show aqui no litoral Sul? Vem? Mas…me avisa.BJO, SONIA MALACRIDA

Deixe uma resposta